Supostos Repórteres do Campo Grande News tentam intimidar participantes e Conveniados do Projeto Portal PDF Imprimir E-mail
Dom, 19 de Maio de 2013 09:46

Na tarde do dia 13 de maio último, na cidade de Rochedo, MS, dois elementos se dizendo jornalistas do site Campo Grande News abordaram comerciantes do Posto Diamante, Nosso Mercado e na Drogaria Bom Pai, todos estas empresas conveniadas à Associação Projeto Portal, com sede na cidade de Corguinho, MS.

Os dois homens, que chegaram em um veículo Gol branco,  tinham em suas mãos cartão pertencente aos associados e conveniados da Associação Projeto Portal, tentaram intimidar funcionários e empresários das empresas citadas, alegando que caso estivesse aceitando tal bônus em troca de produtos estariam cometendo crime, tendo em vista que tratava-se de uma moeda paralela.

Os conveniados, em resposta a tal absurdo insinuado pelos supostos repórteres apresentados apenas como Elvis e Erasmo, indicaram que o cartão participativo da Associação Projeto Portal não se tratava de moeda paralela, e sim uma campanha realizada entre a Associação e as empresas visitadas, nos mesmos moldes como são feitas inúmeras outras em todos os ramos de atividade comercial, como, por exemplo, fast foods, mercados, lojas de conveniência etc, tudo legalmente amparado e em pleno acordo com os princípios basilares previstos por nossa Constituição.

Note-se que, caso haja alguma irregularidade ou qualquer outro erro de conduta, estes foram cometidos pelos supostos jornalistas do Campo Grande News, vejamos:

Em primeiro lugar, os supostos jornalistas portavam cartão de uso exclusivo dos associados do Projeto Portal e conveniados, o que exige não apenas estar em dia com as obrigações da Associação, mas como ter aderido ao convênio. Como os supostos repórteres não são associados, tampouco conveniados, estão se apropriando de bem que notadamente não lhes pertence.

Noutro aspecto, eles tentaram coagir funcionários e empresários nos desempenhos de suas tarefas cumpridas diariamente com dignidade, imputando-lhes crimes que não cometeram, isso apenas por participarem de convênios junto à Associação Projeto Portal e seus parceiros.

Por fim, caso fossem de fato jornalistas sérios, teriam ao menos se identificado em uma das várias vezes que foram interpelados para fazê-lo, não apenas dando prenomes e tentando dificultar qualquer identificação.

A Associação Projeto Portal, através de seu departamento jurídico, está fazendo o levantamento de todos os fatos para tomar todas as providências judiciais cabíveis, tendo em vista flagrantes ilegalidades cometidas covardemente por indivíduos e meios de comunicação que se escondem sobre interesses obscuros.

É sabido que algumas pessoas infiltraram no Projeto Portal, se passando por associados por alguns meses e até mesmo se mudando de grandes centros para Campo Grande, como forma de obter informações. As atividades destas pessoas já estão sendo observadas para que sejam evitadas novas agressões aos direitos da Associação, associados e conveniados.

Seja como for, de agora em diante a equipe do Projeto Portal e seus parceiros, em todos os setores, estarão empenhados em fazer um levantamento sobre as pessoas que covardemente se utilizam de meios de comunicação para prejudicarem a Associação Projeto Portal com intuito de que sejam tomadas todas as medidas judiciais cabíveis.

Não é a primeira vez que tal episódio ocorre e respostas judiciais serão dadas aos abusos cometidos assim como a exemplo da condenação sofrida pelo Grupo Paracientífico e Ademar José Gevaerd, por atitudes semelhantes, conforme autos de nº 018261-06.2000.8.12.0001 da 5ª Vara Cível da Comarca de Campo Grande em decorrência de atitudes que estranhamente lembram o mesmo modus operandi desta situação presenciada em Rochedo no último dia 13 por diversas testemunhas, onde falsas informações e dados inverídicos foram plantados pelos condenados em veículos de comunicação.

Em anexo confirmando o que foi dito acima, uma gravação onde o condenado declara para uma ex-secretária de Urandir seus planos para falsificar e construir falsas provas para difamar Urandir e o Projeto Portal. O anexo diz respeito à condenação de Gevaerd e o Grupo Paracientífico,  fruto de suas insanas atitudes.

O Projeto Portal apenas soma ao Estado do Mato Grosso do Sul e, principalmente, Corguinho e região, onde estão situadas a Fazenda Boa Sorte e a Cidade Turística Zigurats. A Associação alavanca e é responsável por uma boa fatia da economia de nossa região, se posicionando, inclusive, como um dos principais pontos turísticos do Estado, beneficiando aeroportos, companhias aéreas, taxistas, setor hoteleiro, e toda a sorte de empresas sediadas nas cidades em que a Associação Projeto Portal se apresenta.

Além do aspecto econômico, a Associação tem forte projeto social, realizando diversas campanhas em prol dos moradores de todas as regiões em que atua, indo onde o poder estatal muitas vezes não alcança.

Desta forma, é de se indagar qual o verdadeiro motivo de perseguição à esta Associação, associados e conveniados.

Será que atividades ufológicas e todas as outras pesquisas como a arqueologia, astronomia, desenvolvimento humano e afins incomodam tanto assim os interesses de alguns?

Discos voadores, ETs, extraterrestres, OVNIS, portais, nova ordem mundial, governo oculto, chips, moeda única mundial,  controle de massas, armas eletromagnéticas, propaganda subliminar, ondas HAARPs, ondas escalares, e ondas HAYUT são palavras que muitos desconhecem, mas que incomodam a muitos que se utilizam dessas tecnologias para controle populacional.

Enquanto a verdade não aparece para dar resposta a tais perguntas, a Associação Projeto Portal  segue firme no propósito de trazer o conhecimento puro à sociedade, todavia sem se descuidar das pedras covardes que eventualmente apareçam por seu caminho.

Escute o Áudio:


Última atualização em Dom, 19 de Maio de 2013 10:07